Notícias

Organizações pressionam governador João Doria por audiência para tratar da letalidade policial

Com pedido ignorado, a ideia do encontro é discutir propostas para a redução deste índice

A cada oito horas uma pessoa é morta por agentes do Estado (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasi)

Desde junho, o IDDD tem se articulado com organizações de direitos humanos, representantes do movimento negro e outros movimentos sociais para conseguir uma audiência pública com o governador de São Paulo, João Doria. A ideia do encontro é discutir propostas para a redução da letalidade policial.

Sem respostas, desde então, as entidades ganharam apoio de nomes de peso, entre artistas, escritores e acadêmicos, cobrando uma data para audiência. Em ofício, as organizações lembraram que a cada oito horas uma pessoa é morta por agentes do Estado. O grupo aponta ainda que a omissão do governador pode “causar a percepção de “licença para matar” e que, além disso, 75% das vítimas eram negras, segundo Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O documento foi protocolado na última sexta-feira (17) e o prazo para resposta é de cinco dias.

Confira o pedido na íntegra.

Financiadores

ver todos +